Paulistanos chegam a gastar R$ 700 por mês com ‘dog walkers’

Paulistanos chegam a gastar R$ 700 por mês com ‘dog walkers’

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Materia G1 – Passeadores apostam em forma alternativa de trabalho na capital. Cães saem para passear enquanto os donos trabalham.

24/10/2010 07h12 – Atualizado em 24/10/2010 07h12

Fernando Lopes, de 52 anos, é pós-graduado, casado, tem três filhos, era empresário e tinha uma vida financeira estável. Mas ele abandonou tudo e resolveu se tornar um ‘dog walker’, também conhecido como passeador de cães. Hoje, com a saúde melhor e mais confiante, ele diz que foi a melhor escolha que já fez.

Passeadores são pessoas que passam o dia com cachorros cujos donos, na maioria das vezes, não têm tempo de realizar a tarefa. São profissionais que, acima de tudo, amam os animais e que apostam em uma forma de trabalho alternativa para ganhar dinheiro.

Lopes é dog walker há um ano e meio e emprega outras quatro pessoas. Ele se tornou um dog walker quando, segundo ele, começou a sentir um desconforto no trabalho. “Me senti cansado da vida que tinha e resolvi mudar tudo. Pensei: ‘Quer saber? Vou fechar a empresa e me dedicar a algo que gosto de verdade’”, disse.

A alta demanda no trabalho de passeador de cachorros foi percebida em suas caminhadas pelo bairro em que mora: Higienópolis. Começou distribuindo panfletos divulgando o serviço e logo ganhou o primeiro cliente. Hoje, tem cerca de 70. “Resolvi unir uma das coisas que mais gosto, que é cuidar de animais, com trabalho. Não ganho o mesmo que antes, mas estou mais feliz.” Ele atende nas regiões de Higienópolis, Santa Cecília, Perdizes, Pompéia e Campos Elíseos.

Em São Paulo, os bairros que mais têm demanda pelo serviço são os de classe média a alta. Higienópolis, Jardins, Perdizes, Morumbi e Moema são alguns deles.

Os passeios, em geral, duram uma hora e acontecem uma vez ao dia, de segunda a sexta. Os preços normalmente são fechados por mês e variam de acordo com a empresa, região e quantidade de passeios. Tudo pode ser negociado entre cliente e passeador. Normalmente, se os passeios são fechados com antecedência, o cliente pode receber um desconto. Além de caminhar com o cão, alguns dog walkers ensinam noções básicas de adestramento.

Em Higienópolis, por exemplo, um passeio de uma hora por dia, de segunda a sexta, pode custar R$ 180 por mês. Alguns passeadores cobram valores mais altos porque saem com apenas um cachorro por vez e o trajeto é mais longo. Outro fator que pode alterar o valor é o número de cachorros – quando a pessoa tem mais de um cachorro, há possibilidade de negociação. O valor pode chegar a R$ 700.

Ler matéria completa – http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/10/paulistanos-chegam-gastar-r-700-por-mes-com-dog-walkers.html